Inep apresenta nesta segunda-feira o Manual de Redação do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgará nesta segunda-feira (16) a cartilha do participante, conhecida como Manual de Redação do Enem. O documento detalha o que é exigido do texto, temido por grande parte dos candidatos.

Diferentemente dos outros anos, as provas do Enem ocorrerão em dois domingos seguidos. A Redação será pedida no primeiro, dia 5 de novembro, juntamente com as questões de Linguagens e Ciências Humanas.

Para a professora de Literatura e Redação do Colégio e Cursinho Objetivo, Luci Rocha, é provável que competências ou critérios avaliados se mantenham. O primeiro deles é apresentar um texto excelente, caso o candidato queira alcançar a tão desejada nota mil.

“Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita, é a primeira competência. Expressões muito desgastadas pelo uso, pontuação equivocada, erros de ortografia, de colocação pronominal e de crase têm sido os maiores vilões desse critério”, afirma a professora.

A segunda competência relaciona-se à compreensão da proposta e à aplicação de conceitos de outras áreas. Serão considerados o repertório cultural do candidato e a estrutura geral e argumentativa da dissertação.

A capacidade de selecionar, analisar, organizar e interpretar informações para defender um ponto de vista é o terceiro critério a ser levado em conta. O quarto diz respeito à coesão: mecanismos linguísticos para boa articulação de ideias. E a quinta competência exigirá a apresentação de uma proposta de intervenção bem elaborada para resolver ou amenizar o problema abordado.

“Como nos anos anteriores, a proposta de intervenção deverá ser obrigatória para a atribuição de nota na competência 5. No entanto, por ser a última competência enumerada, não significa que ela deva estar exclusivamente na conclusão do texto. Dependendo da proposta, o candidato poderá começar a sugeri-la desde a introdução, para desenvolvê-la no decorrer do texto ou no encerramento dele”, explica Luci.

O que o candidato precisa ter em mente é que essa proposta de intervenção precisa ser factível. Conforme a coordenadora do Curso Poliedro, Gabriela de Araújo Carvalho, é preciso detalhar a proposta de intervenção com clareza e coerência e propor de forma lógica as soluções pensadas para o problema. Segundo Gabriela, essa proposta precisa ter agente, detalhar quem vai fazer, o que será feito e de qual forma, além de estar totalmente interligada àquilo que foi descrito no corpo do texto.

Zero

No ano passado, mais de 84 mil candidatos tiveram seus textos anulados. Isso não significa, porém, que os textos estivessem sem qualidade de vocabulário ou com argumentos faltando, simplesmente. Segundo Luci, o candidato pode zerar na redação caso fuja do tema, copie o texto motivador, apresente um texto com menos de dez linhas, não atenda ao tipo textual – escrevendo narrativa, poema ou crônica, por exemplo – ou apresente propostas que possam ferir os direitos humanos. 

Fonte: A Tribuna.com.br 

Data: 16/10/2017

 
Educafro Minas - Centro Franciscano de Defesa de Direitos
Av. Amazonas, 314 - sala 310 - Centro
Belo Horizonte/MG - CEP - 30180-001
Tel: (31) 3271-3038
Província Santa Cruz
Praça São Francisco das Chagas, nº195 - Carlos Prates, Belo Horizonte/MG